QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE EM PROJETO DE EXERCÍCIO FÍSICO EM UBÁ-MG

Daniele Cristina Albano, Sabrina Fontes Domingues, Rômulo Abrantes, Alxenadre Augusto Macedo Corrêa, Gustavo Leite Camargos

Resumo


O envelhecimento é um processo acompanhado de alterações fisiológicas que aumentam a susceptibilidade às doenças e incapacidades. Entretanto, a prática de exercício físico é capaz de torna-lo bem-sucedido e mais saudável. Assim o presente estudo teve como objetivo verificar a percepção da qualidade de vida em idosos praticantes de atividade física A amostra foi composta por 51 idosos, com idade entre 60 à 89 anos. Foram aplicados os questionários IPAQ e WHOQOL para determinar o nível de atividade física e de qualidade de vida, respectivamente. Foram realizados os testes Qui-quadrado e Correlação de Spearman. A amostra ficou dividida nas categorias Ativo (49%), Insuficientemente Ativo (31%) e Sedentário (20%). Ao se realizar o teste qui-quadrado para avaliar a possível associação entre as variáveis IPAQ e Dimensões do WHOQOL, bem como a correlação entre os mesmos, observou-se forte correlações entre IPAQ e Percepção da Qualidade de Vida (ρ=0,82) e entre IPAQ e Satisfação com a saúde (ρ=0,78), principalmente nos participantes do sexo feminino. Na amostra pesquisa foi possível perceber que ser do sexo feminino e ser ativo fisicamente, influencia na percepção da qualidade de vida e satisfação com a saúde. Assim, a prática de exercício físico pode ser importante para a melhoria da qualidade de vida dos idosos, bem como de sua satisfação com a saúde e relações interpessoais. 


Palavras-chave


Qualidade de vida. Idosos. Exercícios físicos. Envelhecimento.

Texto Completo:

PDF

Referências


Alves RV, Mota J, Cota MC, Alves JGB. Aptidão física relacionada à saúde de idosos: influência da hidroginástica. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Niterói, v.10, n.1, p.31-7, 2004.

Anderson MIP, Assis M, Pacheco LC, Silva EA, Menezes, IS, Duarte T, et al. Saúde e Qualidade de vida na terceira idade. Textos sobre Envelhecimento| UNATI / UERJ | Rio de Janeiro | nº 1 p. 1-44 | 2º semestre 1998.

Araújo LF. Benefícios da atividade física segundo idosos hipertensos e diabéticos do programa de Saúde da Família, Trabalho de conclusão de curso, Universidade Federal de Rondônia, 2008.

Barros Neto TL Exercício, saúde e desempenho Físico. 1. ed. São Paulo: Atheneu, 1997.

Brandão JS. Lazer para o idoso ativo como fator de qualidade de vida no processo de envelhecimento. TCC apresentado à PUC-RS. Instituto de Geriatria e Gerontologia. Programa de Pós-graduação em Gerontologia Biomédica. Porto Alegre, 2009. Disponível em:

Carvalho Filho ET, Netto PM. Epidemiologia do Envelhecimento. Geriatria: fundamentos, clínica e terapêutica. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2006.

Fleck MPA. WHOQOL Abreviado: Versão em Português. Programa de saúde mental organização mundial da saúde Genebra. Rio Grande do Sul. 1998. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2015.

Frazer CJ, Christensen H, Griffiths KM. Effectiveness of treatments for depression in older people. Medicina. J. Aust. 2005; 182(12):627-32.

Freitas EV. Demografia e epidemiologia do envelhecimento. In: PY, L.; PACHECO, J.L.; SÁ, J.L.M.; GOLDMAN, S.N. (Orgs.). Tempo de envelhecer: percursos e dimensões psicossociais. Rio de Janeiro: Nau, 2004. p.20-36

Lambertucci RH, Puggina EF. Pithon-curi TC. Efeitos da atividade física em condições patológicas. Revista Brasileira Ciência e Movimento. 14(1): 67-74, 2006.

Lebrão ML. O envelhecimento no Brasil: aspectos da transição demográfica e epidemiológica. Saúde Coletiva. 04(17): 135-140, 2007

Matsudo S, Araújo T, Matsudo V, Andrade D, Andrade E, Oliveira LC, Braggion G. Questionário internacional de atividade física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista brasileira de atividade física e saúde. 2001:6(2):5-18

Matsudo SM. Atividade física na promoção da saúde e qualidade de vida no envelhecimento. Revista Brasileira Educação Física e Esporte, São Paulo, v.20, p.135-37, supl. 05, set, 2006.

Michalos AC, Zumbo BD, Hubley. A. Health and the quality of life: social indicators research. Social Indicators Research, Prince George, v. 51, n. 3, p. 245-86, 2000.

Miranda LC, Banhato EFC. Qualidade de vida na terceira idade: a influência da participação em grupos. Psicologia em Pesquisa. Universidade Federal de Juiz de Fora. 2(01), p. 69-80. 2008.

Nelson ME, Rejeski WJ, Blair SN, Duncan PW, Judge JO, et al. Physical activity and public health in older adults: recommendation from the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Medicine Science Sports Exercice. 2007, Aug; 39(8):1435-45.

Oliveira PA, Rocha CCM, Pereira DAA. Revista Eletrônica Faculdade Sudamérica. v.6, p.197-215, 2014.

Organização Mundial de Saúde (OMS). O papel da atividade física no Envelhecimento saudável. Florianópolis, 2006.

Organização Mundial de Saúde (OMS). Atividade física e saúde na Europa: Evidências para a ação. Centro de Investigação em Actividade Física, Saúde e Lazer. Porto, 2006.

Papalia DE, Olds SW, Feldman RD. Desenvolvimento Humano. 2006. 8ª ed. Porto Alegre, RS: Artmed.

Paschoal SMP, Salles RFN, Franco RP. Epidemiologia do Envelhecimento. In: CARVALHO FILHO, E. T.; NETTO, P. M. Geriatria fundamentos, clínica e terapêutica. São Paulo: Atheneu, 2006.

Pereira EF, Teixeira CS, Santos A. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Revista Brasileira Educação Física Esporte, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 241-50, 2012.

Silva WA. Atividade física e terceira idade: um estudo de caso sobre as atividades oferecidas pelo grupo viver feliz, do município de Águas Lindas de Goiás. 2012. Universidade de Brasília.

Tavares DMS, Pereira GA, Iwamoto HH, Miranzzi SSC, Rodrigues LR, Machado ARM. Incapacidade Funcional entre idosos residentes em um município do interior de Minas Gerais. Texto Contexto Enfermidades. 2007; 16 (1): 32-9.

Toscano JJO, Oliveira ACC. Qualidade de vida em idosos com distintos níveis de atividade física. Revista Brasileira Medicina Esporte. 2009; 15(3).

Vitta A. Atividade Física e bem-estar na velhice: In: FREIRE, S. A.; NERI, A. L., E por falar em boa velhice. Campinas: Papirus, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Copyright (c) 2017 Gustavo LC GustavoLC