ASSOCIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL COM O NÍVEL DE FRAGILIDADE E O RISCO DE DESENVOLVIMENTO DE SARCOPENIA EM IDOSOS

Sarah Reis, Gustavo Leite Camargos, Jaqueline Salgado Lopes, Anselmo Gomes de Moura

Resumo


Nos últimos anos, devido, principalmente ao avanço tecnológico e da saúde, a sociedade se modificou demograficamente, sendo demonstrado pelo envelhecimento da população. Esse estudo buscou avaliar a capacidade funcional, o nível de fragilidade e o fenótipo de sarcopenia em idosos. Trata-se de um estudo descritivo transversal que foi realizado através de coleta de campo na cidade de Ubá/MG, com idosos. Os dados foram coletados a partir de questionários: Instrumento de rastreio de sarcopenia (SCAR F + CC), Fenótipo de Fragilidade (FF) e questionário internacional de atividade física (IPAQ). A amostra foi categorizada 50% pré-frágil e 45% frágil.  Em relação a sarcopenia, 65% apresentou sinais sugestivos para a síndrome e se destacou a circunferência de panturrilha como item principal. A amostra se mostrou ativa fisicamente em 70%. Houve alta prevalência de idosos com sinais sarcopênicos e frágeis na cidade, porém a amostra teve ótimos resultados em nível de atividade física.

Texto Completo:

PDF

Referências


ALFIERI, F. M; WERNER, A.; ROSCHEL, A. B; MELO, F. C; SANTOS, K. I. S. Mobilidade funcional de idosos ativos e sedentários versus adultos sedentários. Brazilian Journal Biomotricity, v. 3, n. 1, p. 89-94, 2009.

BARBOSA‐SILVA, T. G. et al. Prevalence of sarcopenia among community‐ dwelling elderly of a medium‐sized South American city: results of the study. Journal of cachexia, sarcopenia and muscle, v. 7, n. 2, p. 136-143, 2016.

CAMARARO, A. A.; KANSO, S. Perspectivas de crescimento para a população brasileira: velhos e novos resultados. Rio de Janeiro: Ipea; 2009.

CRUZ-JENTOFT, A. J. European Working Group on Sarcopenia in Older People: Sarcopenia: European consensus on definition and diagnosis. Report of the European Workign Group on Sarcopenia in Older People. Age Ageing, v. 39, p. 412-423, 2010.

DUART, M.; PAÚL, C. Prevalência da fragilidade fenotípica em pessoas em processo de envelhecimento numa comunidade portuguesa. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 18 (4), 871-8802015

FARIA, J. C.; MACHALA, C. C. Importância do treinamento de força na reabilitação da função muscular, equilíbrio e mobilidade de idosos. Acta Fisiátrica; São Paulo, v. 10, n. 03, p. 133-137, 2003.

FIDELIS, L. T.; PATRIZZI, L. J.; WALSH, I. A. P. DE. Influência da prática de exercícios físicos sobre a flexibilidade, força muscular manual e mobilidade funcional em idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 109–116, mar. 2013.

FREITAS, E. V.; PY, L.; NÉRI, A. L.; CANÇADO, F. A. X.; GORZONI, M.L.; ROCHA, S. M. Tratado de Geriatria e Gerontologia, Guanabara-Koogan, 2002.

FRIED, L. P.; FERRUCI, L.; DARER, J.; WILLIAMSON, J. D.; ANDERSON, G. Untangling the concepts of disability, frailty, and comorbidity implications for improved targeting and care. J GerontolABiolSciMedSci, v.59, n.3, p.255-263, 2004.

GALLON, D.; GOMES, A. R. S. Idosos institucionalizados e os efeitos do exercício no processo de envelhecimento musculoesquelético: uma revisão. RBCEH, Passo Fundo, v. 8, n. 1, p. 136- 147, 2011.

GONÇALVES; R; GURJÃO, A. L. D.; GOBBI, S. Efeitos de oito semanas do treinamento de força na flexibilidade de idosos. Rev. Bras. Cineantropom Desempenho Hum; v. 9, n. 2, p. 145-53, 2007.

MACEDO, C.; GAZZOLA, J.M.; NAJAS, M. Síndrome da fragilidade no idoso: importância da fisioterapia. Arquivos Brasileiros de Ciências da Saúde, v.33, n. 3, p. 177-84,2008.

MATSUDO, S.; ARAÚJO, T.; MATSUDO, V.; ANDRADE, D.; ANDRADE, E.; OLIVEIRA, L. C.; BRAGGION, G. Questionário internacional de atividade física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista brasileira de atividade física e saúde. V. 6, n. 2, p. 5-18. 2001.

NUNES, D. P.; DUARTE, Y. A.; SANTOS, J. L.; Lebrão, M. L. Rastreamento de fragilidade em idosos por instrumento auto referido. Revista Saúde Pública, v.49 n.2, p.1-9. 2015.

PÍCOLI, T. S.; FIGUEIREDO, L. L.; PATRIZZI, L. J. Sarcopenia e envelhecimento. Fisioterapia Movimento, v. 24, n. 3, p. 455-462, 2011.

PIERINE, D.T.; NICOLA, M.; OLIVEIRA, E.P. Sarcopenia: alterações metabólicas e conseqüências no envelhecimento. Revista Brasileira Ciência do Movimento; v. 17n. 3 p. 96-103,2009.

ROSA, T.E.C.; BENICIO, M.H.D.; LATORRE, M.R.D.O.; RAMOS, L.R. Fatores determinantes da capacidade funcional entre idosos. Rev. Saúde Pública 2003; 37(1):40-48.

SERQUEIRA, C. Cuidar de Idosos Dependentes. Coimbra: Quarteto Editora.2007.

TAA, F. A. Jr.; PINHEIRO, M.M.; SZEJNFELD, V.L. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Revista Brasileira Reumatologica. 2006;46(6):391-7.

VERAS, R. P. Estratégias para o enfrentamento das doenças crônicas: um modelo em que todos ganham. Revista Brasileira Geriátrica Gerontolv.14, p.779-86, 2011;

WORLD HEALTH STATISTICS.WHO. 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.