RISCO OPERACIONAL E FINANCEIRO: um estudo aplicado a uma Indústria de Móveis do Polo Moveleiro de Ubá

Glaucimar Medeiros Esteves, Wellington de Oliveira Massardi, João Paulo Ciribelli, Nathália Carvalho Costa

Resumo


class="Apple-interchange-newline"> Conforme um estudo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e
Pequenas Empresas – SEBRAE (2013), no período de 2005 a 2010
a taxa de sobrevivência das empresas com até 2 anos de
funcionamento foi de 75,6%, ou seja, a taxa de mortalidade das
empresas chega a 24,4%. Esse número elevado demonstra a
importância de se ter um controle sistêmico e um planejamento
adequado dos processos de controle e gestão das empresas.
Daí surge a importância do estudo e desenvolvimento do assunto,
principalmente no que tange à questão das ferramentas de gestão,
tais como: custo-volume-lucro (CVL); margem de contribuição;
ponto de equilíbrio e a alavancagem operacional, por exemplo, são
peças fundamentais que auxiliam o gerenciamento e controle das
empresas diante do atual quadro econômico, em que se verifica
uma alta taxa de mortalidade das empresas no Brasil e em
específico as do polo moveleiro de Ubá.
Diante desse cenário, surge a questão: qual a relação entre custo,
volume e lucro de uma empresa do polo moveleiro de Ubá e os
seus reflexos para o risco operacional e financeiro da organização?
O artigo tem como objetivo identificar a relação existente entre os
custos dos produtos vendidos, o volume de vendas e a lucratividade
da empresa, além de mensurar o grau de alavancagem operacional
e financeira.

Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.