A CRONOANÁLISE COMO FERRAMENTA OTIMIZADORA NA DEFINIÇÃO DE PADRÕES EM VISTA DA ADOÇÃO DE DADOS HISTÓRICOS: um estudo de caso em uma empresa de armários e cozinhas em Ubá-MG

Rafael Bertolato Vicente Rafael, Helder Gomes Helder, Leonardo Parma de Lima Leonardo, David Oliveira Resende David

Resumo


Nota-se, na prática empresarial, a frequente adoção de dados históricos para a definição de novos padrões. Portanto, questionando a importância da cronoanálise frente ao método atual, o presente artigo tem como objetivo comparar e analisar a definição da capacidade produtiva e a formação dos custos de produção sob as duas óticas abordadas. Utilizou-se a pesquisa exploratória, bibliográfica, documental e estudo de caso, e como técnica de coleta de dados fez-se uso da observação direta participante. Concluiu-se que a cronoanálise é uma técnica mais eficiente do que a utilização de dados históricos no que se refere à definição de novos padrões para produtos entrantes e à manutenção dos antigos. Isso ocorre porque a ferramenta permite conhecer em maior grau a exatidão dos processos, possibilitando que a empresa integre de maneira mais eficaz os objetivos operacionais aos estratégicos.

Texto Completo:

PDF

Referências


ANIS, Gerson Castiglieri. A importância dos estudos de tempos e métodos para controle da produtividade e qualidade. São Paulo, 2010. Disponível em:. Acesso em: 22 set. 2015.

BARNES, Ralph Mosser. Estudo de movimentos e de tempos: projeto e medida do trabalho. 6. ed. São Paulo: Blucher, 2012.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: edição compacta. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

CHIROLI, Daiane Maria de Genaro; NUNES, Priscila Vieira; LEAL, Gislaine Camila Lapasini. O uso da cronoanálise para implantação do plano mestre de produção em uma empresa avícola. In: XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2010, São Carlos. Anais... São Carlos: XXX ENEGEP, 2010.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2015.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARTINS, Petrônio Garcia.; LAUGENI, Fernando Piero. Administração da produção. São Paulo: Saraiva, 2002.

MAXIMIANO, Antônio César Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

PARANHOS FILHO, Moacyr. Gestão da produção industrial. Curitiba: InterSaberes, 2012.

PEINADO, Jurandir.; GRAEML, Alexandre Reis. Administração da produção: operações industriais e de serviços. Curitiba: UnicemP, 2007.

ROCHA, Duílio Reis da. Gestão da produção e operações. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2008.

ROCHA, Juliana Aparecida Vieira da; NAVARRO, Alexandre. A importância da capacidade produtiva e cronoanálise para empresas do polo moveleiro de Ubá. In: IX SIMPÓSIO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2014, Viçosa. Anais... Viçosa: IX SAEPRO, 2014.

SELEME, Robson. Métodos e tempos: racionalizando a produção de bens e serviços. Curitiba: InterSaberes, 2012.

SILVA, Argens Valente da; COIMBRA, Rubens Ricardo de Castro. Manual de tempos & métodos: princípios e técnicas do estudo de tempos. São Paulo: Hemus, 1980.

SLACK, Nigel; CHAMBERS Stuart; JHONSTON, Robert. Administração da produção. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

TIBOLA, Ricardo et al. Aumento da produtividade pelo uso de técnicas de tempos e movimentos em uma prensa hidráulica. In: I SEMANA INTERNACIONAL DAS ENGENHARIAS DA FAHOR, 2011, Horizontina. Anais... Horizontina: I SIEF, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.