Estudo comparativo: o Estado Oligárquico na América Latina do século XIX e a crise democrática do século XX

Raul Carneiro Filho

Resumo


A intenção do presente texto é discutir a situação da América Latina nos últimos 30 anos, através de uma perspectiva de referencial bibliográfico comparado as leituras efetuadas a partir do seminário “Política e Sociedad em las encrucijadas de América Latina”. Buscou-se relacionar o tema com elementos históricos, sociais e políticos um pouco mais contemporâneos. Percebeu-se durante a construção deste que pouco alternou o conjunto de forças entre diferentes agentes sociais frente do Estado, desde as oligarquias até a crise da democracia[1] na região, mais efetiva na segunda metade dos anos 1980. Para tanto, destacaremos uma análise básica e  geral das características que moldaram historicamente na tentativa de descobrir estreitas ligações das distintas épocas.  As últimas três décadas na América Latina foram marcadas por mobilizações populares contra governantes que alternaram o poder basicamente com ideais neoliberais, o que proporcionou  alguns golpes de Estado  - derrubando presidentes eleitos pelo voto popular.  Uma caracterização desse processo feita  por alguns analistas, é visto como  como uma “instabilidade democrática


[1] Termo citado em “América Latina: crise democrática ou do modelo oligárquico?  de Falcão,   Frederico José 


Texto Completo:

PDF

Referências


ADES, H. and GRAHAM, M. The Rough Guide to Ecuador, Rough Guides, 2010.

AMOROSO BOTELHO, J. C. A instabilidade democrática na Anperica Latina do sécuLo XXI. Os casos da Argentina e Venezuela. Demos (Grupo de Estudos da Democracia e de Política Comparada) da PUC-SP.

ANOS DE INCERTEZA (1930 - 1937) a Política de boa vizinhança Fundação Getúlio Vargas. Visitado em 27 de junho de 2014.

BAQUERO, Marcelo. A vulnerabilidade dos partidos políticos e a crise da democracia na América Latina. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2000.

CARDOSO, da Silva Cardoso. A construção do Estado Oligárquico na América Latina: México, Peru e Argentina. Universidad Nacional de La Plata. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, 2014.

DABÉNE, Oliver. América Latina no Século XX. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

DONGHI, Halperin. História da América Latina. São Paulo: Círculo do Livro, 1975.

GALEANO, Eduardo. As Veias abertas da América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

MARINGONI, Gilberto. A Venezuela que se inventa. São Paulo: Perseu Abramo, 2004

PONZIO Maria Fernanda Garbero de Aragão A praça da memória: o cenário das Madres de Plaza de Mayo. www.pgletras.uerj.br – acesso em agosto de 2015.

QUADRO, Vasconcelos. Maior movimento popular da história do Brasil, Diretas Já completa 30 anos. Em http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-01-24/maior-movimento-popular-da-historia-do-brasil-diretas-ja-completa-30-anos.html - acesso em agosto de 2015.

ROSENMANN, Marcos R. “Neoliberalismo”. In: SADER, Emir (coord.). Enciclopédia Contemporânea da América Latina e do Caribe. São Paulo: Boitempo, 2006.

ROSSI, Clóvis. A Contra-Revolução na América Latina. São Paulo: Atual, 1987.

SOARES, Vera Teixeira. Coronelismo e Oligarquias - 1889 - 1934 Editora: Civilização Brasileira, 2010.

WASSERMAN, Cláudia. História contemporânea da América Latina 1900-1930. Porto Alegre: Editora da Universidade, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.