MOTIVAÇÃO A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS: Um estudo com praticantes de musculação

Francielle Carvalho Santos, Renata Aparecida Rodrigues de Oliveira, Alexandre Augusto Macêdo Corrêia Correia, Elizângela Fernandes Ferreira

Resumo


Para que o indivíduo ingresse em alguma modalidade de atividade física, é necessário motivação, seja qual for seu objetivo e necessidade. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi verificar o motivo da adesão à prática de atividade física em praticantes de musculação. Participaram 60 praticantes de musculação das academias de Ubá-MG, de ambos os sexos, com idades entre 18 e 65 anos. O instrumento empregado foi a Escala de Motivação à prática de Atividade Física (MPAM-R). A análise dos dados, foi realizada por meio da estatística descritiva das variáveis estudadas, a fim de verificar correlações entre idade e sexo, utilizou-se o teste t Student.  Os resultados indicaram que a maior motivação para a prática da musculação foi a saúde-fitness (M=6,44+0,53), seguida de diversão-interesse (M= 5,62+1,32), competência (M=5,03+1,46), aparência (M=5,01+1,30) e social (M=3,68+1,32). Assim, conclui-se que a saúde é o principal motivo para as pessoas aderirem à prática da musculação.


Palavras-chave


Exercício. Treinamento de Resistência. Motivação.

Texto Completo:

PDF

Referências


ARSEGO, Nígia Ramalho. Motivação à prática regular de atividades físicas na academia de ginástica: uma revisão de literatura. 2012. 68 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Educação Física) - Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

ANDREOTTI, Márcia, Cristina; OKUMA, Silene, Sumire. Perfil sócio-demográfico e de adesão inicial de idosos ingressantes em um programa de educação física. Revista paulista educação física, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 142-53, 2003.

BARBOSA, Marcus Levi Lopes. Propriedades métricas do Inventário de Motivação para a Prática Regular de Atividade Física. 2006. 151 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

BALBINOTTI, Marcos Alencar Abaide; BARBOSA, Marcus Levi Lopes; BALBINOTTI, Carlos Adelar Abaide; SALDANHA, Ricardo Pedrozo. Motivação à prática regular de atividade física: um estudo exploratório. Estudos de Psicologia, Natal, v. 16, n. 1, p. 99-106, 2011.

BALBINOTTI, Marcos Alencar Abaide; CAPOZZOLI, Carla Josefa. Motivação à prática regular de atividade física: um estudo exploratório com praticantes em academias de ginástica. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 63-80, 2008.

BARBOSA, Rita Maria Dos Santos Puga. Resenha do livro "Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo", de Markus Vinicius Nahas. Revista Brasileira Ciências do Esporte, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 513-18, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2014: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. 2015. Disponível: . Acesso em: 14 out. 2015.

CARRON, Albert, V.; HAUSENBLAS, Heather, A.; MACK, Diane. Social influence and exercise: a meta-analysis. Journal of Sports and Exercise Psychology, v.18, n. 1, p. 1-16, 1996.

CASPERSEN, Carl. J.; POWELL, Kenneth. E.; CHRISTENSON, Gregory. M. Physical activity, exercise and physical fitness. Public Heath Reports, v. 100, n. 2129, p. 126-31, 1985.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Resolução Confef nº 046: Intervenção do Profissional de Educação Física e respectivas competências e define os seus campos de atuação profissional - apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

DECI, Edward L.; RYAN, Richard M. The what and the why of goal pursuits: human needs and the self-determination of behavior. Psychological Inquiry, v. 11, p. 227-68, 2000.

DECI, E. L., et al. On the benefits of giving as well as receiving autonomy support: mutuality in close friendships. Personality and Social Psychology Bulletin, v. 32, n. 3, p. 313-27, 2006.

DECI, Edward L.; KOESTNER, Richard; RYAN, Richard M.;. A meta-analytic review of experiments examining the effects of extrinsic rewards on intrinsic motivation. Psychological Bulletin, v. 125, n. 6, p. 627-68, 1999.

DUARTE, Cátia Pereira; SANTOS, Cristiane Leite dos; GONÇALVES, Andréa Krüger. A concepção de pessoas de meia-idade sobre, envelhecimento e atividade física como motivação para comportamentos ativos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 23, n. 3, p. 35-48, 2002.

FAIX, M. R. N.; SILVEIRA, J. W. P. Fatores motivacionais que influenciam a prática de atividades físicas. EF Deportes: revista digital, Bueno Aires, v. 17, n. 171, ago. 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2015.

FERNANDES, Helder Miguel Graça. Motivação no contexto da educação física: estudo centrado no valor preditivo das intenções de prática desportiva em função da motivação intrínseca. 2003. 136 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física e Desporto) - Universidade de Trásos-Montes e Alto Douro, Portugal, 2003. Disponível: . Acesso em: 16 set. 2015.

FIGUEIRA JUNIOR, Ayton. Potencial da mídia e tecnologias aplicadas no mecanismo de mudança de comportamento, através de programas de intervenção de atividade física. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasília, v. 8, n. 3, p. 39-46, 2000.

FREDERICK, Christina; RYAN, Richard. Self-determination in sport: a review using cognitive evaluation theory. International Journal of Sport Psychology, v. 26, p. 5-23, jan. 1970.

KILPATRICK, Marcus; HEBERT, Edward; BARTHOLOMEW, John. College student’s motivation for physical activity: differentiating men's and women's motives for sport participation exercise. Journal of American College Health, v. 54, n. 2, p. 84-94, 2005.

LIMOEIRO, Beatrice Cavalcanti. O corpo em foco: envelhecimento e diferenças de gênero na cidade do Rio de Janeiro. Revista Todavia, v. 3, n.5, p. 69-79, dez. 2012.

LEITE, Fernando Medeiros. Motivos que levam à desistência da prática de musculação em adultos. 2012. 43 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Departamento de Educação Física. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, Brasil, 2012. Disponível: < http://www.riuni.unisul.br>. Acesso em: 17 set. 2015.

MACIEL, Erika da Silva, et al. The relationship between physical aspects of quality of life and extreme levels of regular physical activity in adults. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 29, n. 11, p. 2251-60, 2013.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Academias de ginástica como opção de lazer. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasilia, v. 11, n. 2, p. 49-54, 2003.

MIRAGAYA, Ana. Promoção da saúde através da atividade física. Atlas do esporte no Brasil: atlas do esporte, educação física e atividades físicas de saúde e lazer no Brasil. Rio de Janeiro: CONFEF, 2006.

MURCIA, Juan Antonio Moreno; GIMENO, Eduardo Cervelló; CAMACHO, Antônio Martinez. Validación de la Escala de Medida de lós Motivos para la Actividad Física – Revisada em españoles: diferencias por motivos de participación. Anales de Psicología, p. 23, n. 1, p. 167-76, 2007.

AGUIAR, Daniela Lima;. CARDOSO, Fernando Luiz; MAZO, Giovana Zaperllon. Programa de hidroginástica para idosos: motivação, auto-estima e auto-imagem. Revista Brasileira Cineantropometria Desempenho Humuno, v. 8, n. 2, p.67-72, 2006.

OLIVEIRA, Renata Aparecida Rodrigues de, et al. Fatores associados à pressão arterial elevada em professores da educação básica. Revista Educação Física-UEM, v. 26, n.1, p 119-29, 2015.

OLIVEIRA, Renata Aparecida Rodrigues de, et al. Variáveis bioquímicas, antropométricas e pressóricas como indicadores de risco cardiovascular em servidores públicos. Fisioterapia em Movimento, v. 26, n. 2, p. 369-77, 2013.

PATE, Russel et al. Physical activity and public health: a recommendation from the Centers for Disease Control and Prevention and the American College of Sports Medicine. The Journal of the American Medical Association, v. 273, n. 5, p.402- 07, 1995.

PINHEIRO, Kelly Cristina; SILVA, Diego Augusto dos Santos; PETROSK, Edio Luiz. Barreiras percebidas para prática de musculação em adultos desistentes da modalidade. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 15, n. 3, p. 157-62, 2010.

PUCCI, Gabrielle Cristine Moura Fernandes, et al. Associação entre atividade física e qualidade de vida em adultos. Revista Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 166-79, fev. 012.

RYAN, Richard, et al. Intrinsic motivation and exercise adherence. International Journal of Sport Psychology, v. 28, p. 335-54, 1997.

FREDERICK, Christina; RYAN, Richard. Differences in motivation for sport and exercise and their relation with participation and mental health. Journal of Sport Behavior, v. 16, n. 3, p. 124, 1993.

Salles-Costa, Rosana, et al. Gênero e prática de atividade física de lazer. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 2, p. 325-33, 2003.

SCHULTZ, Duanne; SCHULTZ, Sydney Ellen. Teorias da personalidade. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

TAHARA, Alexender Klein; SCHWARTZ, Gisele Maria; SILVA, Karina Acerra. Aderência e manutenção da prática de exercícios em academias. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 11, n. 4, p.7-12, 2003.

VLACHOPOULOS, Symeon; MICHAILIDOU, Sotiria. Development and initial validation of measure of autonomy, competence, and relatedness in exercise: the basic psychological needs in exercise scale. Measurement in Physical Education and Exercise Science, v. 103, p. 179-201, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.