O PROTAGONISMO AFIRMATIVO DO/A NEGRO/A EM HISTÓRIAS INFANTIS: uma desconstrução do lugar dos personagens para combater o racismo

Suellen Scarlet Silva Gamarano Suellen, Gabriela Silveira Meireles Gabriela

Resumo


O presente artigo teve por objetivo compreender por que o/a negro/a não costuma protagonizar histórias de literatura infantil sem que aspectos da sua negritude, como a cor e o cabelo, sejam o elemento central dos enredos. Teceu-se por meio de metodologia científica qualitativa e, com base na observação participante, analisaram-se as falas das crianças sobre o protagonismo dos/as negros/as em obras de literatura infantil. Com isso foi possível compreender, através das reações das crianças, que algumas ações de combate ao racismo foram desenvolvidas pela professora e aprendidas pelas crianças. Por fim, concluiu-se que elas se incomodavam com o fato de os/as negros/as estarem protagonizando histórias sem que sua cor fosse ressaltada. Ao quebrar esses estereótipos, elas passaram a prestar mais atenção no enredo das histórias e a se preocupar menos com as características físicas desses personagens.


Palavras-chave


Protagonismo negro. Ensino Fundamental. Literatura Infantil. Raça/etnia.

Texto Completo:

PDF

Referências


ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CP/CNE nº 3/2004. Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Relatório. Brasília: MEC, 2004.

BRASIL. Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das

Relações Étnicos-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Ministério da Educação: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Brasília: MEC, SECADI, 2013.

CANEN, A. Multiculturalismo e currículo em ação: um estudo de caso. Revista Brasileira de Educação, n. 21, 2001. p. 61-74.

CASTANHA, Marilda. Ops. São Paulo: COSAC NAIFY, 2011.

DEBUS, E. S. D. A literatura infantil contemporânea e a temática étnico racial: mapeando a produção.

Congresso da Leitura do Brasil, Campinas. Anais... Campinas: Unicamp, 2007. Disponível em: www.alb.com.br/ anais16. Acesso em: 5 mar. 2019.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

JOVINO, Ione da Silva. Literatura infanto-juvenil com personagens negros no Brasil. In: SOUZA, Florentina; LIMA, Maria Nazaré. (Orgs.). Literatura afro-brasileira. Brasília: Fundação Palmares, 2006.

LAMBLIN, Christian. Os pais de Samira se separam. Coleção E Agora? São Paulo: Ática, 2002.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da metodologia cientifica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

OLIVEIRA, M. A. J. Negros personagens nas narrativas infanto-juvenis brasileiras. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2003.

RENNÓ, Regina. Pela porta do coração, São Paulo: Quinteto, 2017.

RODRIGUES, Marta. Que cor é a minha cor?. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.

ROSA, Sonia; LOBATO, Ladyana dos Santos; SANTOS. Ana Rosa Pereira dos. Personagens negros na literatura infantil: análise de o menino Nito. Universidade Federal do Pará/UFPA. Campina Grande: Realiza, 2012.

SILVA, Santuza Amorim da; FREITAS, Daniela Amaral Silva. Representações dos negros na literatura infantil e juvenil. Rev. Educ. PUC-Camp., Campinas, v. 21, n. 3, p. 311-322, set./dez., 2016.

SOARES, M. Leitura e democracia cultural. In: PAIVA, A. Democratizando a leitura: pesquisa e práticas. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.