PROFESSORAS EM DEPRESSÃO: um estudo com professoras do Ensino Fundamental I de Ubá/MG

Taynara Hilário do Nascimento Silva Tay, Gabriela Silveira Meireles Gabi

Resumo


O presente trabalho trata da depressão em docentes, e como isso vem afetando alunos e professoras na relação ensino aprendizagem. O objetivo foi entender quais são os principais fatores desencadeadores da depressão em professoras do Ensino Fundamental I e de que maneira isso influencia nas relações de ensino aprendizagem. A metodologia utilizada foi a abordagem qualitativa, com auxílio da pesquisa bibliográfica, do tipo exploratória, empregando como instrumento de investigação a entrevista semiestruturada e como instrumento de análise a teoria da Análise do Discurso. Os resultados evidenciaram um esgotamento das docentes. Concluiu-se que os principais motivos de elas desenvolverem a depressão no ambiente escolar são a não valorização, as cobranças excessivas a falta de estrutura familiar, a sobrecarga de funções, tanto no ambiente escolar, quanto fora dele, o ambiente exaustivo da sala de aula, juntamente com fatores físicos e psíquicos. Nota-se também que a troca constante de professoras afeta o emocional e a aprendizagem dos alunos, deixando-os impactados por essa situação, assim como algumas vezes essas relações se fortificam por entenderem o que a professora está passando.


Palavras-chave


Depressão. Docência. Ensino Fundamental I.

Texto Completo:

PDF

Referências


BASTOS, Josane Aparecida Quintão Romero. O mal-estar docente, o adoecimento e as condições de trabalho no exercício do magistério, no Ensino Fundamental de Betim/MG. 149 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Programa de Pós-Graduação em Educação. Belo Horizonte, 2009.

BATISTA, Jaqueline Brito Vidal; CARLOTTO. Mary Sandra; MOREIRA, Antônio Marcos. Depressão como causa de afastamento do trabalho: um estudo com professores do ensino fundamental, 2013. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/ article/view/11551. Acesso em: 19 abr. 2019.

CAMARGO, Ariolvaldo. Na mídia: 40% dos professores afastados por saúde tem depressão. 2012. Disponível em: http://www.sismmac.org.br/noticias/13/saude/3814/na-midia-40-dos-professores-afastados-por-saude-tem-depressao. Acesso em: 19 abr. 2019.

CÂNDIDO, Jéssica; SOUZA, Lindinalva Rocha de. Síndrome de Burnout: as novas formas de trabalho que adoecem, 2016. Disponível em: http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1054.pdf. Acesso em: 19 abr. 2019.

CERVO, Amado Luís; BERVIAN, Pedro Alcino. Silva, Roberto da. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Education, 2007.

DWORAK, Ana Paula; CAMARGO, Bruna Caroline. Mal-estar docente: um olhar dos professores. Educere, UEPG, 2017. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/24871_12773.pdf. Acesso em: 01 nov. 2019.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FLICK, Uwe. Introdução à metodologia de pesquisa: um guia para iniciantes. Porto Alegre: Penso, 2013.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo. Editora Atlas, 2002.

GUARDABASSI, Andréa. Até 2020, depressão será doença mais incapacitante do mundo. Jornal Destak, 2018. Disponível em: https://www.destakjornal.com.br/saude/detalhe/ate-2020-depressao-sera-doenca-mais-incapacitante-do-mundo. Acesso em: 18 abr. 2019.

GASPARINE, Sandra Maria; BARRETO, Sandhi Maria; ASSUNÇÃO, Ada Ávila. O professor, as condições de trabalho e os efeitos sobre sua saúde. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, maio/ago., 2005, p. 189-199.

GONTIJO, Érica Eugênio Lourenço; SILVA Marcos Gontijo da; INOCENTE, Nancy Julieta. Depressão na docência - revisão de literatura, 2013. Disponível em: http://www.fug.edu.br/2018/ revista/index.php/VitaetSanitas/article/viewFile/43/35. Acesso em: 19 abr. 2019.

PAULA, Luiz Henrique de; JIMÉNEZ, Luis Ortiz. A influência da depressão dos docentes em sua prática pedagógica no Ensino Fundamental de duas escolas Municipais da cidade de Santos – São Paulo. Revista Científica de Iniciación a la Investigación. Universidad Autónoma de Asunción, Paraguay, v. 3, n. 2, 2018.

LIMA, Érika Joely Casaes de Jesus; LEITE, Erivete Antunes. Docência e a depressão: fatores predominantes no processo. Educere, XIII Congresso Nacional de Educação, 2017. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/24512_12130.pdf. Acesso em: 17 fev. 2019.

MATOS, Júlia Silveira. Análise documental, 2015. Disponível em: http://www.sabercom.furg.br/ bitstream/123456789/1739/1/An%C3%A1lise_documental.pdf. Acesso em: 06 maio 2019.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2012.

NETO, Lauro. Depressão tira 1.210 professores de sala de aula da rede estadual do Rio: afastamento por motivos psiquiátricos foi a segunda maior causa. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/depressao-tira-1210-professores-de-sala-da-rede-estadual-do-rio-15469366. Acesso em: 22 abr. 2019.

OLIVEIRA, Adalberto Henrique da Cunha. Agressões e violências contra professores nas escolas públicas. João Pessoa, 2014. Disponível em: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/ 9788/1/PDF%20-%20Adalberto%20Henrique%20da%20Cunha%20Oliveira.pdf. Acesso em: 19 abr. 2019.

OMS, Organização Mundial da Saúde. Folha informativa – depressão, 2018. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5635:folha-informativa-depressao&Itemid=1095. Acesso em: 09 mar. 2019.

ONU. Depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas e é doença que mais incapacita pacientes, 2017. Disponível em: https://nacoesunidas.org/depressao-afeta-mais-de-300-milhoes-de-pessoas-e-e-doenca-que-mais-incapacita-pacientes-diz-oms/. Acesso em: 18 abr. 2019.

OPAS BRASIL. Folha informativa-Depressão, 2018. Disponível em: https://www.paho.org/bra/ index.php?option=com_content&view=article&id=5635:folha-informativa-depressao&Itemid=1095. Acesso em: 18 abr. 2019.

SANTOS, Charlisa Corrêa dos. Produção de adoecimentos de professores: algumas considerações, 2016. Disponível em: https://rd.uffs.edu.br/bitstream/prefix/1310/1/SANTOS.pdf. Acesso em: 19 abr. 2019.

SANTOS, Izequias Estevam dos. Manual de métodos e técnicas de pesquisa científica. 11. ed. Niterói/RJ: Impetus, 2015.

SCANDOLARA, Thalita Basso; WIETZIKOSKI, Evellyn Claudia; GERBASI, Adalberto Ramon V.; SATO, Samantha Wietzikoski. Avaliação dos níveis de estresse e depressão em professores da rede pública do município de Francisco Beltrão – PR. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR, Umuarama, v. 19, n. 1, p, 31-38. 2015.

SOUZA, Thaís Rabanea; LACERDA, Acioly Luís Tavares. Depressão ao longo da história. Disponível em: https://www.larpsi.com.br/media/mconnect_uploadfiles/c/a/cap0172.pdf. Acesso em: 18 abr. 2019.

TEIXEIRA, Larissa. 66% dos professores já precisaram se afastar por problemas de saúde. Revista Nova Escola, 2018. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/12302/pesquisa-indica-que-66-dos-professores-ja-precisaram-se-afastar-devido-a-problemas-de-saude. Acesso em: 19 abr. 2019.

TOSTES, Maiza Vaz; ALBUQUERQUE, Guilherme Souza Cavalcanti de; SILVA, Marcelo José de Souza; PETTERLE, Ricardo Rasmussen. Sofrimento mental de professores do ensino público. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 42, n. 116, p. 87-99, jan./mar. 2018.

VASCONCELOS, Mariana Barcelos. O adoecimento do profissional docente. Monografia (Graduação em Pedagogia) - Faculdade do Pará de Minas – FAPAM. Pará de Minas, 2014.

VINUTO, Juliana. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. UNICAMP, 2014. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/tematicas/article/view/ 2144. %20Acesso%20em:%2006. %20mai.%202019. Acesso em: 06 maio 2019.

XAVIER, Jania Mara; CHAVES, Maricelma Almeida. O estresse no processo educativo. Revista Saberes da UNIJIPA, 2013. Disponível em: https://unijipa.edu.br/wp-content/uploads/Revista%20 Saberes/ed4/16.pdf. Acesso em: 19 abr. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.