ANÁLISE DOS FATORES MOTIVACIONAIS QUE LEVAM HOMENS E MULHERES À PRÁTICA DE CORRIDA DE RUA NA CIDADE DE UBÁ-MG

Gabriel Siqueira Henriques, Alexandre Augusto Macêdo Corrêa, Joel Alves Rodrigues, Davi Correia da Silva

Resumo


As corridas de rua estão cada vez mais em evidência no Brasil, e diversos fatores são motivadores para a prática dessa modalidade. Sendo assim, o presente estudo teve o objetivo de analisar os fatores motivacionais que levam homens e mulheres à prática de corrida de rua na cidade de Ubá Minas Gerais. Foram avaliados 40 praticantes de corridas de rua, sendo 24 homens e 16 mulheres; Idade 29,90 ± 8,30; Peso 67,35 ± 11,91; Altura 170,55 ± 10,33. Como instrumento de avaliação, foi utilizada a versão adaptada e validada da Escala de Motivação para a Prática de Atividade Física Revisada (MPAM‐R). Tal questionário compreende 30 itens que medem a motivação para praticar atividade física a partir de cinco fatores: diversão, competência, aparência, saúde e social. Após a coleta de dados, foi realizada a análise descritiva, com média e desvio padrão, e cálculo das prevalências dos fatores que motivam em função do sexo. De acordo com os resultados encontrados no estudo, pode-se concluir que, tanto para homens quanto para mulheres, o fator Saúde e Fitness tem maior relevância como fator motivacional para a prática de corrida de rua; e Aparência, para ambos os sexos, é o fator menos relevante para a prática de corrida de rua, ficando atrás dos quesitos de competência, social e diversão.


Palavras-chave


Motivação; Corrida de Rua; Atividade Física

Texto Completo:

PDF

Referências


AMORIM, D. P. Motivação à prática de musculação por adultos jovens do sexo masculino na faixa etária de 18 a 30 anos. Trabalho de conclusão de curso. Escola Superior de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2010.

ANDRADE, A.; SALGUERO, A.; MÁRQUEZ, S. Motivos para a participação esportiva em nadadores brasileiros. Fitness & Performance Journal, Rio de Janeiro, v. 5, n. 6, p. 363-369, 2006.

BALBINOTTI, M. A. A. Inventário de motivação à prática regular de atividade física e/ou esporte. Montréal, QC: Service d’Intervention et de Recherche en Orientation et Psychologie, 2004.

BALBINOTTI, M. A. A. Perfis motivacionais de corredores de rua com diferentes tempos de prática. Revista Brasileira de Ciência do Esporte, Rio Claro, v. 37, n. 1, p. 65-73, 2015.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. The what and the why of goal pursuits: human needs and the self-determination of behavior. Psychological Inquiry, v. 11, p. 227-68, 2000.

ESCARTÍ, A.; CERVELLÓ, E. La motivación en el deporte. In: BALAGUER I (Org.). Entrenamiento psicolígico em el deporte, Valência: Albatros Educación, 1994.

FPA - Federação Paulista de Atletismo (2016). Estatísticas Corrida de Rua 2015. Disponível em: http://www.atletismofpa.org.br/Corrida-de-Rua/Estat%C3%ADstica-2015. Acesso em: 04 nov. 2019.

FIGUEIREDO J. P.; SCHUARTZ, G. M. Atividades de aventura e educação ambiental como foco nos periódicos da área de Educação Física. Motriz, Rio Claro, v.19, n. 2, p. 467-479, 2013.

FRANCO, K. N. Comparação de fatores motivacionais entre corredores de rua de equipes e individuais. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Física) - Escola de Educação Física, UFRGS. Porto Alegre, 2010. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/ 27705. Acesso em: 23 out. 2019.

HASSANDRA, M.; GOUDAS, M.; CHRONI, S. Examining Factors associated with intrinsic motivation in physical education: a qualitative approach. Psychology of Sport and Exercise, v. 4, p. 211-233, 2003.

KOBAL, M. C. Motivação intrínseca e extrínseca nas aulas de educação física. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

KÜHN, M.E.W. Motivação e grupo de corrida: um estudo misto com alunos de uma assessoria de corrida. UFGRS Lume Repositório Digital. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/ 187427. Acesso em: 04 jun. 2019.

LEITE, Fernando Medeiros. Motivos que levam à desistência da prática de musculação em adultos. 2012. 43 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Departamento de Educação Física. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, Brasil, 2012. Disponível em: https://riuni.unisul.br/handle/12345/1333. Acesso em: 23 out. 2019.

MALDONADO, G. R. Educação Física e o adolescente: a imagem corporal e a estética da transformação na mídia impressa. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, Barueri, v. 1, p. 59-76, 2006.

MELO, N. B. C.; TICIANELLI, G. Motivação de adolescentes para prática esportiva. Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Belo Horizonte, 2010.

NETTO, J. E. S. Motivação para a prática de esporte em jovens atletas e fatores associados. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Centro de Educação Física e Esporte. Universidade Estadual de Londrina, Paraná, 2010.

NUNOMURA, M. Motivo de adesão à atividade física em função das variáveis idade, sexo, grau de instrução e tempo de permanência. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, São Paulo, v. 3, n. 3, p. 45-58, 1998.

OLIVEIRA, S. N. Lazer sério e envelhecimento: loucos por corrida. 102 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, UFRGS, Porto Alegre, 2010.

PINTO, S. A; COSTA, G. C. T. Motivação dos praticantes de taekwondo: estudo realizado em academias de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, São Paulo, v. 7, n. 27, p. 495-504, 2015.

REINBOTH, M.; DUDA, J. L. Perceived motivational climate, need satisfaction and indices of well-being in team sports: a longitudinal perspective. Psychology of Sport and Exercise, Birminghan, v. 7, n. 1, p. 269-286, 2006.

SCHULTZ, D.; SCHULTZ, S. E. Teorias da personalidade. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

SAMULSKI, D. M. Psicologia do esporte. 2. ed. São Paulo: Manole Ltda., 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.